12 de janeiro de 2014 em Geral

NINGUÉM PRONOME INDEFINIDO
Este poema não é da Liz Rabello,
mas da Bete, professora de Português…
Com o coração nas mãos,
lágrimas nos olhos
e aposentadoria correndo em suas tramitações…
Nunca imaginei que EU,
fosse um pronome tão pessoal…
EU aposentada
EU fora de cena
EU em casa
Eu, NINGUÉM, 
Este pronome indefinido…
NINGUÉM me avisou que seria tão difícil assim!
(In MENINAS SUPER POÉTICAS II, por Liz Rabello, página 67, Editora Beco dos Poetas, 2012)

Comentários no Facebook

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.
Pular para a barra de ferramentas