Amor é sem fim

7 de julho de 2015 em Geral

…um garoto de olhos negros, pés descalços e boca banguela, olhava tristemente da boleia do caminhão, pensava nos amigos que ficavam, no cachorro companheiro de lida na hora de juntar o gado, latia como a dizer adeus, uma lágrima insinuou e a lembrança de Maria seu grande amor o fez tremer… nunca mais … pensou, deixando cair uma lágrima logo seca pelo vento que entrava pela janela… foi a última lembrança da viajem de João Pessoa até São Paulo .

Sessenta e cinco anos se passaram até a volta já como dono do antigo sítio dos pais, ao descer do carro e olhar em volta as lembranças misturavam-se e pareceu-lhe voltar no tempo , se viu novamente com 12 anos correndo no terreiro nos folguedos de menino… pensou instintivamente no sorriso de Maria… e temeu que as marcas do tempo estampada em seu rosto não guardasse mais o amor de menino… foi um pensamento rápido logo esquecido quando seu olhar encontrou os dela, menina… mulher… avó… Maria tentou falar sem fôlego, o sorriso compreensivo era o mesmo da menina, o tempo parecia ter congelado e sem compreender o que acontecia à beijou, tendo a certeza que o amor envelhece para acompanhar o rosto amado, o tempo nos ensina a ver beleza nos cabelos brancos e no olhar cansado, a juventude é passageira mas o Amor é sem fim…

Comentários no Facebook

Pular para a barra de ferramentas