LIBERTAÇÃO, de Marta Cavalcante Paes

4 de Janeiro de 2014 em Geral




 
Na paz interior ouço o silencio da razão,
Desliguei o piloto automático assumir direção.
Impliquei-me, repliquei, sem pedir replica.
Treplica dispensei, anunciei e seguir,
Desistir de contestar, a vida se encarrega de assinalar,
Argumentar é não acreditar na voz do coração,
Atravessei o mar da ilusão, cantarolei satisfação,
Determinação e desapego me transportaram,
Na margem segura desabei em prantos,
Chorar fortalece a alma e acalma.
Banhei-me em lágrimas de alivio,
Trampolim para saltitar a liberdade,
Sem ansiedades nem saudades,
A voz que era emudecida ressurge e grita,
Entalada desabrocha para a vida.
Eclodindo como um raio de sol, em dias de verão,
Rompendo as barreias do açude e libertando emoções.
     Poetisa: Marta Cavalcante Paes


Poesia publicada no livro”Meninas Super Poéticas- Vol IV”

Editora Beco dos Poetas – 2014.

Comentários no Facebook

Pular para a barra de ferramentas